Silêncio carregado

>> quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009





“Conhecia sem saber querer diferente… No medo refugiado, escondeu as palavras presentes no silêncio!


Foi no olhar que calou o silêncio… despertou do vazio das palavras, o frágil sentimento que um dia o fez chorar…”

2 folhas:

RiP 5 de fevereiro de 2009 às 13:01  

Por vezes quando nos calamos e nos perguntam "O que tens?" e respondemos "nada!" estamos a ser verdadeiros, nesse momento não temos nada... um absoluto buraco no nosso sentimento que nos faz andar ali apenas numa ponte de tédio entre o que somos realmente e aquilo que estamos a mostrar ser... por vezes ouvimos mais no silêncio de outra pessoa do que nas palavras de outros... é o esplendor dos fortes e refúgio dos fracos... podemos nunca ter a certeza perante qual dos casos estamos...

estrelinha do mar 5 de fevereiro de 2009 às 13:09  

Ouço-te no silêncio melodioso do fundo de ti, nas profundezas do mar onde me detenho... Mar forte que me protege no seu esplendor!

Seguidores

Comentários Soltos

Soltas...