Dúvidas

>> terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Parece-me impossível, existir um sentimento assim tão grandioso, que exerce tanto poder sobre a minha razão e os meus sentidos...
É tão difícil acreditar, que me envolvo em medos...
Medos que me impedem de sentir em pleno! Por isso fico em dormência, uma dormência carregada de tranquilidade, paz...
Ao mesmo tempo é uma sensação serena... Confortável, simplesmente porque te sinto como um lar, um abrigo...
Não duvido de ti ou de mim, duvido simplesmente!!!!!!
Por isso te disse, não te senti apenas no meu corpo, senti-te na alma...
Senti-te dentro de todo o meu Ser, és o meu mar!!!!
O teu toque, o teu beijo, o teu olhar, as tuas palavras, excitam-me de uma forma plena, aqueces-me o coração, vibras-me o corpo e entesas-me o espírito.
Eu não sou tua, tu não és meu...
Somos dois corpos, numa vontade…
Somos duas metades que constroem uma alma…
Somos complemento...

2 folhas:

RiP 3 de fevereiro de 2009 às 21:45  

"Nunca se pode saber o que se deve querer, porque só se tem uma vida, que não pode ser comparada com vidas anteriores, nem rectificada em vidas posteriores."

Milan Kundera - "A insustentável leveza do ser"


Apenas precisamos do corpo para dar expressão visual ao que realmente nos alimenta... um mero utensílio que nos permite perceber que estamos no mesmo espaço físico.

miau 4 de fevereiro de 2009 às 00:33  

Descobre-se uma vida interligada num espaço sem tempo...
Encontram-se os corpos numa mesma alma de sempre!
Sente-se sem ver, ouve-se sem cheiro... E no encontro a explosão dos sentidos eleva noutra dimensão...

Seguidores

Comentários Soltos

Soltas...