Tempo...

>> domingo, 22 de março de 2009





"Vive, Dança, Rosa Branca
Não percas tempo a tentar ser feliz
Roda viva, Rosa vermelha
Toma bem conta do que eu nunca fiz

Quando fores grande não queiras crescer
Abraça a terra que te viu nascer
Embala o mundo ao som dos teus passos
Deixa o teu lar-doce-lar em estilhaços

Vive, Dança, Rosa Branca
Não percas tempo a tentar ser feliz
Roda viva, Rosa vermelha
Toma bem conta do que nunca fiz

Quando te vejo tenho que admitir
Quando eu estremeço não posso mentir
A tua seiva alimenta a lua
Faz-me querer ir cantar para a rua

Vive, Dança, Rosa Branca
Não percas tempo a tentar ser feliz
Roda vida, Rosa vermelha
Toma bem conta do que eu nunca fiz

Roda vida, Rosa vermelha
Toma bem conta do que eu nunca fiz"

10 folhas:

Raul e Joel Carvalho 22 de março de 2009 às 22:56  
Este comentário foi removido pelo autor.
Raul e Joel Carvalho 22 de março de 2009 às 22:57  

Este é um pequeno excerto da música da Mariza (Fadista), canção Rosa Branca, e tem muito haver com este poema:

"Quem tem quem tem,
amor a seu jeito,
colha a rosa branca,
ponha a rosa ao peito..."

Abraços dos MC

Eu 23 de março de 2009 às 10:55  

Porque foi a ela que eu pus debaixo de uma redoma [e foi buscar a redoma]. Porque foi ela que eu abriguei com o biombo [e foi buscar o biombo]... Porque foi a ela que eu matei as lagartas (menos duas ou três, por causa das borboletas)[e foi matar as borboletas]. Porque foi a ela que eu vi queixar-se, gabar-se e até, às vezes, calar-se. Porque ela é a minha rosa."


"É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos..."

Raul e Joel Carvalho 23 de março de 2009 às 11:15  

Será que será assim tão simples??

Ver com o coração é fácil quando se sente algo forte e temos a certeza que é aquilo que queremos. Mas será que ver com os olhos o que é essencial é assim tão dificil?
Acho que é indispensável ver com os olhos. Ao fim de contas, o coração sente o que os olhos vêm...

Abraços dos MC

Saint Exupéry 23 de março de 2009 às 11:50  

"- Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo.(...)

- Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela é agora única no mundo.

E as rosas estavam desapontadas.

- Sois belas, mas vazias, disse ele ainda. Não se pode morrer por vós. A minha rosa, sem dúvida que outra pessoa pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é, porém, mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus sob a redoma. Foi a ela que abriguei com o biombo. Foi dela que eu matei as larvas (excepto duas ou três por causa das borboletas). Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.

(...)Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos. (...)

- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante."

... os cegos também sentem... os olhos são um acessório que tanto ajuda como complica, não é preciso ver para sentir, o essencial é invisível aos olhos...

zinho 23 de março de 2009 às 11:53  

"vejo mais num olhar teu do que numa vida de contemplação"

miau 23 de março de 2009 às 22:52  

Posso olhar as coisas mais belas, os sorrisos mais contagiantes, a felicidade dos que passam... Mas em nenhum desses olhares consigo Ver!
Somente com o coração posso ver, sem olhar, sem observar...
Só com o coração posso sentir o que está para além da visão...

Raul e Joel Carvalho 26 de março de 2009 às 19:36  

Isso é verdade... Bem dito...

Mas também é verdade que os olhos vêm o que o coração sente...

Abraços

Raul e Joel Carvalho 27 de março de 2009 às 11:42  

Muitas vezes, para quê vale apena esperar??

Sabemos que nunca vamos ter aquilo que queremos... Às vezes sentimos algo tão forte, tão forte, mas não podemos dizer...
Porque?? Porque não podemos, simplesmente dizer, e aguentar com isso sempre...
E aqui entra o tempo... O tempo ajudanos a curar o que por vezes pensamos que não somos capazes de curar...

Abraços Miau

Anónimo 27 de março de 2009 às 19:00  

Um grande amor nunca se esquece, nem com a ajuda do tempo...Por vezes pensamos que o tempo vai curar o que sentimos mas é totalmente o contrário, quando se ama o tempo só traz saudades mostrando-nos que não podemos viver sem essa pessoa... ...

Seguidores

Comentários Soltos

Soltas...